Pistolando #021 – Direito à cidade

Pistolando #021 – Direito à cidade

Tempo de leitura: 4 minutos

 

Ué, mas se eu moro na cidade, não tenho automaticamente direito a ela? Não é tão simples. Estamos falando de um conceito de Lefebvre de 1968 que diz: “O direito à cidade é muito mais que a liberdade individual para acessar os recursos urbanos: é o direito de mudar a si mesmos por mudar a cidade. É, sobretudo, um direito coletivo, ao invés de individual, pois esta transformação inevitavelmente depende do exercício de um poder coletivo para dar nova forma ao processo de urbanização. O direito a fazer e refazer nossas cidades e nós mesmos é, como quero argumentar, um dos mais preciosos, e ainda assim mais negligenciados, de nossos direitos humanos.” Entendeu? Não? Então ouve aqui a Alyssa Volpini, graduanda em arquitetura e urbanismo, e Werther Krohling, dos podcasts Beco da Bike e SciCast.

Baixar o episódio

 

Ficha técnica

Hosts: Leticia Dáquer e Thiago Corrêa

Convidados: Alyssa Volpini e Werther Krohling

Edição: Thiago Corrêa

Capa: Leticia Dáquer

Data da gravação: 14/03/2019 e 16/04/2019 dsfsddfssf

Data da publicação: 10/04/2019

Músicas:

  • Chico Science e Nação Zumbi – A Cidade
  • The Hollies – Bus Stop
  • Felipe Prazeres – A Cidade Ideal (música do espetáculo Os Saltimbancos)
  • Jesus Luhcas – Garupa
  • Tomorrow – My White Bicycle (versão original e super psicodélica da música que ficou mais conhecida com a banda Nazareth)
  • Red Hot Chilli Peppers – Bicycle Song
  • Academia da Berlinda – Pedalando
  • Queen – Bicycle Race

 

Links relacionados ao episódio

O DIREITO À CIDADE – A qualidade da vida urbana virou uma mercadoria. Há uma aura de liberdade de escolha de serviços, lazer e cultura – desde que se tenha dinheiro para pagar (Revista Piauí, julho 2013)

50 anos de ‘O Direito à Cidade’. E como o conceito ganha novos contornos (Nexo, 20/05/2018)

As pessoas que passam cinco horas no ônibus e metrô para ir e voltar do trabalho (BBC Brasil, vídeo no YouTube, 14/01/2019)

Paulistano demora quase 3 horas por dia no trânsito, e 88% dos pedestres se sentem inseguros, diz pesquisa (G1, 18/09/2018)

O que é Gentrificação e por que você deveria se preocupar com isso (CoUrb, 04/04/2016)

Como a Holanda se tornou um país de ciclistas (Nexo, 27/02/2017)

Critérios do Copenhagenize index para uma cidade ser amiga da bike

Empresas de ônibus pedem o fim do Uber Juntos (CanalTech, 22/01/2019)

Parklet é greenwashing?

Lei da Mobilidade Urbana e cartilha/plano

Prédio de Balneário Camboriú que deve ser o mais alto do Brasil chega ao 65º andar (OCP News, 11/09/2018)

A cidade com o pior trânsito da América Latina (e não é São Paulo) (BBC Brasil, 08/03/2019)

Thread da Cecília do Lago sobre como um sinal de Wi-Fi melhorou a segurança da vizinhança

Palestra das Arquitetas Invisíveis no TED  

 

A Balada do Pistoleiro

Alyssa Volpini

Dissertação de Marielle Franco

Livro: Quarto de Despejo (Carolina Maria de Jesus)

Livro: O Que É Lugar de Fala (Djamila Ribeiro)  

Werther Kohling

Mini documentário – Memória em Branco, um documentário sobre Ghost Bikes

Ler a reportagem do Vá de Bike, depois assistir

Beco da Bike #23 – Cidades Amigas das Bikes (Com Ana Rosa do podcast Apenã)

Scicast #301 “A História das Cidades”  

Leticia Dáquer

Música: LP – Lost on You e Night Like This Precious Adams, bailarina  

Thiago Corrêa Unroll me – chega de tanto spam  

 

Jabás

Alyssa Volpini

Arquitetas Invisíveis

arquitetasinvisiveis@gmail.com

Instagram: @arquitetasinvisiveis

Podcast: O Traço é Delas (link para o Spotify)  

Werther Krohling

Twitter pessoal: @werther_k

Podcast: Beco da Bike

Twitter: @BecodaBike

Podcast: SciCast

Twitter: @SciCastPodcast  

Leticia Dáquer

Twitter: @pacamanca

Blog: www.pacamanca.com

Papo Cético, podcast do site Mitografias  

Thiago Corrêa

Twitter: @thiago_czz  

 

#MULHERESPODCASTERS Mulheres Podcasters é uma ação de iniciativa do Programa Ponto G, desenvolvida para divulgar o trabalho de mulheres na mídia podcast e mostrar para todo ouvinte que sempre existiram mulheres na comunidade de podcasts Brasil. O Pistolando apoia essa iniciativa. Apoie você também: compartilhe este programa com a hashtag #mulherespodcasters e nos ajude a promover a igualdade de gênero dentro da podosfera.

 

Links do Pistolando

www.pistolando.com

contato@pistolando.com

Twitter: @PistolandoPod

Instagram: @PistolandoPod  

Descrição da capa: A capa do episódio é um quadrado que foi dividido em duas partes desiguais por uma linha horizontal. A parte da direita, maior, tem a foto de uma mulher andando de bicicleta. Ela é branca, magra, está usando roupa justa toda escura, o que parecem ser sapatos de salto alto, óculos escuros e cabelos lisos soltos. A bicicleta tem cestinha. A foto mostra a mulher de lado; atrás dela vemos prédios, carros e ônibus. A foto está em preto e branco. A parte esquerda do quadrado é mais estreita e foi dividida em três partes iguais por duas linhas horizontais. A parte superior tem a logo do Pistolando, preta sobre fundo vermelho. A do meio é uma foto do Werther, homem branco, grisalho, de barba, andando de bicicleta, usando camiseta preta com o swoosh da Nike em cor mais clara. A foto está em preto e branco e propositalmente desfocada, pois foi claramente tirada com ele em movimento. Tudo atrás dele está desfocado, mas há luzes, presumivelmente as luzes normais de uma cidade ou faróis de carros. A foto do meio é da Alyssa, mulher branca, cabelos e olhos castanhos. Ela está usando um chapéu de palha e por baixo dele vemos o franjão casualmente despenteado. Está usando uma camiseta com os dizeres PASSEIO EQÜESTRE DA INDEPENDÊNCIA e com o braço esquerdo levantado na altura do queixo à sua frente, segurando algo não muito nítido na foto, como se fosse comer esse algo. Ela está com o corpo virado para a câmera mas o rosto girado para o lado direito, com um levíssimo sorriso nos lábios. Atrás dela, muitas plantas.

2 comments on Pistolando #021 – Direito à cidade

  1. Maurício Lacerda Maccarini disse:

    Tem algum Link para download desse episódio, por que não achei?

    1. Falha minha, desculpe Mauricio. Já está corrigido

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *